terça-feira, 15 de agosto de 2017

Rabiscos do capítulo 6 tema de estudos ENS 2017 - "Educar para a Fé!"



Devemos aprender como Jesus educava para a fé, como ele conduzia à fé os
homens e as mulheres que encontrava nas estradas da Palestina, para nos
tornarmos nós próprios mais confiáveis no educar para a fé.

Jesus sabia não ter preconceitos, sabia criar um espaço de confiança e de
liberdade onde o outro pudesse entrar sem ter medo e sem se sentir julgado.
Nas estradas, ao longo das praias, nas casas, nas sinagogas, Jesus criava um
espaço de acolhimento entre si próprio e o outro que se aproximava dele ou
que o procurava; colocava-se sobretudo à escuta do outro, procurando
perceber o que lhe ia no coração, qual era a sua necessidade.


 Quando Jesus encontrava o outro, encontrava-o como homem, não como pecador, ou doente, ou pobre. Jesus cuidava do homem como um todo e procurava a fé presente no outro porque sabia que a fé é um ato pessoal a que cada um deve aderir em liberdade: ninguém pode acreditar em vez do outro. Através da sua presença de homem confiável e acolhedor Jesus tornava possível a fé, fazendo-a emergir simplesmente pelo facto de estar ali para o outro” (E.Bianchi – La pedagogia di Gesù nell’educare alla fede).

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Aos Sacerdotes nossas orações e parabens pela missão!!

Iniciamos o mes de Agosto, mes dedicado as vocações!
Lembramos e rezamos por todos os sacerdotes que caminharam e caminham conosco :Padre Egidio,Padre Alfredo,Padre Baixinho,Padre Jose,Padre Aleixo,Frei Carlos, Frei José Ari, Frei Vicente, Frei Paulo Zanatta,Frei Bruno Glab,Frei Aquiles,Padre Sergio,Padre Paolo Bortolazzo,Padre Dalgrande,Padre Pedro Nierotica,Padre Marcio,Padre Inacio,Padre Pedro Kunrat, Padre Leandro Chiarelo,Padre Antoninho,Padre Jose Coradin,Padre Adilson,Padre Danilo,Padre diogenes, Padre hermes, Padre antonio,Padre francisco, Padre Eduardo, Padre Clailson,Padre heitor,Padre Salet,Padre Jonas,Padre Heitor,Padre mauro, Padre xavier,Padre João Corso,Monsenhor Dalvit, Monsenhor Antonio Lorenzatto,Padre caffarel,,,,e todos os que esquecemos de citar.

Que o Espírito Santo os ilumine e ampare! Nós faremos todo o possível para auxiliar o nosso clero, como já pedia o próprio padre caffarel aos equipistas.
Um abraço e fiquem com Deus!!
alexandre


O Cura D'ars

. . O dia 4 é dedicado aos padres.

. . Como disse o Pe. Júlio Lancellotti, na sua coluna de hoje do Jornal “O Diário Popular”, o protetor dos padres é São João Maria Vianey, o Cura d’Ars, nascido em 4 de agosto. Por sua perseverança, muita persistência e sua característica simplicidade, conseguiu transformar uma igreja antes vazia de fiéis num local extremamente visitado por peregrinos e até nobres e governantes.

. . A tal ponto a sua igreja era visitada que, para acolher os peregrinos ávidos de ouvir e conversar com o pároco, a França decidiu construir na cidade de Ars uma estrada de ferro e uma estação.

. . É que São João Maria Vianey, quando em vida, tinha extrema habilidade e paciência em ouvir os fiéis, confortando-os, orientando-os e ajudando-os a se reconciliarem com Deus e com os seus semelhantes.

. . Mas a despeito de sua paciência, compreensão, afeto, benevolência e docilidade, era excêntrico em suas opiniões, quando estavam em jogo a reputação, a moral, o bom nome das pessoas. Por exemplo, a uma mulher que lhe confessou ter espalhado boatos falsos sobre a idoneidade alheia ele sentenciou: pega uma galinha, arranca-lhe as penas e espalhe-as ao vento e depois procure reuni-las, sem faltar uma só.

. . Como a mulher lhe dissesse que isso seria impossível, ele sentenciou: assim também, será impossível você encontrar todas as pessoas que souberam do boato que você espalhou e desmenti-lo...

. . A despeito da repercussão do seu belo exercício no sacerdócio, o pároco foi considerado sem habilidade para o mesmo por seus superiores mas, mesmo assim, foi agraciado por Deus, graças à sua paciência, disposição e afeição no trato das pessoas, sempre disposto a ouvir e dialogar com elas, dando-lhes atenção, assistência espiritual e coragem de viver.

. . Um belo exemplo dá aos padres, o Cura d’Ars, considerado o protetor dos párocos!


Fonte:
... José Dassi
... ..josedassi@uol.com.br

terça-feira, 1 de agosto de 2017

QUEM É O PADRE CAFFAREL? - sobre a Caridade


Há momentos em que quaisquer palavras -nossas, em busca da “riqueza espiritual”de CAFFAREL, se tornam a mais.Tínhamos acabado de ouvir na TV, mais uma vez, casos duros sobre famílias inteiras, as agruras que a crise que avassala o nosso País e o mundo lhes está a provocar e, ao mesmo tempo, palravam vários personagens no estilo de “bater o mea-culpa no peito dos outros”, como D. António Ferreira Gomes denunciava como nosso mesquinho vício. Eis então que, angustiados pela tardança em dar o nosso “textosinho” para a CARTA, logo deparámos, caída como bênção do Espírito Santo, com uma luminosa reflexão do nosso Fundador a propósito duma carta recebida em reacção ao que ele escrevera algures. Bastará transcrever (e atrevidamente adaptar ao nosso País) no essencial. Pois bem:

“(...) recebi esta carta: “Sou o tipo de assinante passivo, a-mãe-de-família- -demasiado-ocupada-para-escrever!


contente, no seio da sua tranqüila comunidade familiar onde nada falta, onde se está confortavelmente entre pessoas que se amam e que são agradavelmente ‘bem educadas’? Eu pensava realmente que isso era de outros tempos. Por mim, acho tão difícil conseguir alguns momentos de paz e de quietude! Então, pomos a cabeça entre as mãos e dizemos: ‘A minha posição social, a minha fortuna adquirida justamente (...), foi o bom Deus que as quis; de resto, não sou eu generosa de acordo com os meus meios?, etc. etc.’... e lá vamos andando com um pouquinho de tranquilidade. Mas não por muito tempo. Uma pedinte bate à porta (uma profissional, certamente, não lhe devo nada... ! ah! e se ela tiver filhos enregelados em casa?... os meus estão tão contentes à volta da lareira – plano da Providência: a sua miséria, o meu conforto?...

– viro tudo ao contrário). Ou então é um testemunho do Padre Américo ou do Banco Alimentar ou da Caritas que nos cai nas mãos: a miséria está ali, espreita-nos, estraga o nosso conforto, vira do avesso as nossas perspectivas razoavelmente estabelecidas; já não há maneira de ser feliz; e o pior é que o saco no supermercado ou o dinheiro não apaziguam. Não, Senhor Padre, ajude-nos antes a encontrar a paz. A paz que vem da caridade – (como vê, condeno-me a mim própria; já sei, tudo vem da falta de amor). Qual é o nosso lugar, de burgueses ricos (ou supostamente), nesta miséria do mundo? Estas desculpas (plano providencial, etc.)  não serão fúteis? Pergunto a mim própria muitas vezes se a sua revista feita para nós e que compreende tão bem os nossos problemas e nos ajuda não faria por vezes melhor se mandasse passear
todos esses problemas e nos abanasse,pregasse a pobreza, a caridade, o amor perfeito que despoja.

 Pergunto a mim própria se, unidos nessa intensa caridade, não veríamos melhor a insignificância desses problemazínhos conjugais que tanto nos ocupam (...)”.
Como isto soa a cristão! É por esta inquietação, captada com muita verdade e energia, que se reconhece o discípulo de Cristo. Perante a miséria do mundo, ele descobre a sua riqueza e inquieta-se: porquê eu, por que não eles? Como sois ricos, vós a quem me dirijo! Mesmo se não tendes fortuna material. Ricos da nossa cultura, da vossa educação, das vossas relações, das vossas amizades, dessa família onde há amor. Ricos do bem infinitamente ainda mais precioso da fé, da graça... E, à vossa volta, uma terrível pobreza: corpos famintos, corações famintos, almas famintas. Sois perseguidos por esta pergunta: porquê eu, por que não eles? Sois perseguidos pela vontade de partilhar? Dir-me-eis “Eles não vêm pedir”! De verdade?

Credes que é a eles a quem compete deslocar-se... e pedir


Nela e Augusto Lopes Cardoso

Casal Responsável pela Equipa de Reflexão

e Aprofundamento do Pensamento do P. Caffarel

fonte: CARTA MENSAL PORTUGAL

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Os 3 ingredientes para um casamento bem-sucedido

Fonte: site Aleteia

Shutterstock
Compartilhar
0



Comentar
  
0



Faça essas coisas simples todos os dias e sua relação vai decolar

Aproveite estes 3 simples ingredientes para fazer seu casamento decolar: 30 segundos de beijos, 30 minutos de conversa e 3 minutos de oração – todos os dias. Viver com estas três regras simples ajudará a manter seu casamento fresco e forte.
30 segundos de beijos
Para os românticos – me perdoe, mas eu tenho que dizer isso em voz alta: a química em um relacionamento não é uma metáfora. A química é simplesmente química. Na nossa corrente sanguínea, existem substâncias chamadas hormônios. Dois deles são muito particulares – os hormônios do amor: oxitocina e vasopressina.
Nas mulheres, a oxitocina é liberada com uma concentração muito maior durante o nascimento, amamentação, abraço, carinhos e beijos.
A vasopressina é um equivalente masculino que inunda o corpo durante o sexo.
É essa mistura que cria um vínculo químico entre nós, envolve-nos e nos dá sentimentos de proximidade e prazer. Funciona melhor que o chocolate e não causa ganho de peso!
Se quisermos amar nosso esposo até a morte, temos que fazer amor. É tão simples. Não só quando nosso relacionamento está prosperando e, naturalmente, queremos estar juntos, mas especialmente quando algo começa a falhar. Pesquisadores da Califórnia descobriram que um beijo de 30 segundos ativa a oxitocina. É a ternura entre nós que faz com que os hormônios funcionem em níveis ótimos. Não deixe a proximidade física ser uma recompensa ou punição. Deixe que seja uma parte regular do seu relacionamento.
30 minutos de conversa
É bom falar sobre tudo ou nada em particular. Vamos concordar que, às vezes, é necessário, porque ser muito sério o tempo todo pode não ser bom para a saúde. Uma conversa em um casamento deve ser bem equilibrada, como uma boa dieta.
Em uma conversa equilibrada, há tempo para todos os tipos de tópicos, tanto leves quanto sérios. Todos eles são essenciais para o funcionamento saudável do relacionamento. Trinta minutos por dia são ótimos. A conversa construtiva não é um monólogo, meditação, testemunho ou um misto de palavras. Não é “blá blá blá”, mas um diálogo. E um diálogo tem suas regras invioláveis:
  • Primeiro escute, depois fale.
  • Tente entender um ao outro, não julgar mutuamente.
  • Compartilhe você mesmo (comece uma frase com “eu”) e compartilhe suas experiências e sentimentos antes de discutir.
  • Absolutamente evite generalizações e exageros como “Você sempre…” ou “Você nunca…”
  • Não vá dormir sem perdoar e reconciliar.
3 minutos de oração
Você já tentou andar uma longa distância sem um aquecimento ou alongamento? Bom, não tente. O mesmo acontece sobre rezar juntos. Esses três minutos praticados todos os dias durante pelo menos um mês são como um bom e necessário aquecimento para uma maratona espiritual. Se você ignorá-lo, você arrisca falsos começos, lesões e perda de motivação. Pode ser um mistério do Terço juntos, uma passagem do Evangelho do dia com uma breve reflexão, uma oração espontânea ou sua oração favorita. Faça sua escolha.
O espaço de oração é importante. Assim como você tem uma cama para dormir, um sofá para assistir filmes, uma mesa para comer e uma mesa para trabalhar, você deve organizar um lugar para rezar. Coloque uma vela, uma imagem, uma Bíblia, um terço. Deixe que este seja o seu local de oração. A perseverança resultará no seu desejo de estar junto com o Senhor. E, vamos admitir, é gostoso estar em boa companhia.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

1 milhão de católicos com a Laudato si. Seja um deles!


Campanha promove adesão prática à Laudato si - RV
17/07/2017 16:02
Cidade do Vaticano (RV) - Em comemoração ao 2º aniversário da histórica Encíclica Laudato Si do Papa Francisco, (18 de junho de 2015), o Movimento Católico Global pelo Clima (MCGC) está lançando a campanha Compromisso Laudato Si, para manter viva a mensagem do Pontífice e incentivar a ação católica para enfrentar a crise climática. Ouça aqui:

Compromisso prático
O Compromisso Laudato Si é uma campanha que nos convida a nos comprometermos com a transição para as energias renováveis em nossas casas e comunidades e pressionarmos os líderes políticos a tomarem medidas fortes sobre as mudanças climáticas. A Campanha é voltada para quatro públicos diferentes: indivíduos, famílias, paróquias e organizações. O objetivo é envolver 1 milhão de católicos para enfrentar a crise climática.
Lançamento nas Filipinas, lugar simbólico
A Campanha é lançada com o apoio de cardeais, bispos e outros líderes globais de alto nível (veja as citações abaixo) para incentivar o envolvimento da Igreja em geral.
O evento de lançamento ocorreu em Manila (Filipinas) no dia 17 de junho, com o apoio de líderes da Igreja, como Cardeal Luis Tagle, (arcebispo de Manilha e Presidente da Caritas Interrnacional), e o Arcebispo Sócrates Villegas (arcebispo de Lingayen-Dagupan e Presidente da Conferência Episcopal das Filipinas). A localização do lançamento é significativa dada a vulnerabilidade dos povos da ilha aos impactos das mudanças climáticas, bem como a participação dos católicos filipinos nas questões ecológicas.
Compromisso está on line também em português
A Campanha já está 'on line' em inglês, espanhol, português e italiano. As pessoas que assumirem o compromisso receberão convites para transformar a Laudato Si em ações através de iniciativas do MCGC que acontecem ao longo do ano, como o Tempo da Criação (1 de setembro a 4 de outubro) e o Dia da Terra (22 de abril).
No compromisso, respondemos ao chamado do Papa Francisco na Laudato Si', assumindo três empenhos: Rezar pela e com a criação, viver com simplicidade e engajar-se no cuidado da nossa casa comum.
Movimento Católico Global pelo Clima
O Movimento Católico Global pelo Clima (MCGC) é uma rede internacional de indivíduos e organizações católicas que respondem ao chamado do Papa Francisco na Laudato Si por justiça climática. Fundado em janeiro de 2015, o MCGC cresceu rapidamente, reunindo mais de 400 organizações membros e milhares de católicos para agir por meio de campanhas inovadoras para trazer Laudato Si' para a vida.
Em 1º de fevereiro de 2017, o Papa Francisco enalteceu e encorajou a ação do Movimento Católico Mundial pelo Clima Global (Catholic Climate Movement, GCCM), em um encontro no Vaticano. Confira:
Citações
Cardeal John Ribat, arcebispo de Port Moresby, Papua Nova-Guiné e Presidente da Federação das Conferências Episcopais da Oceania: “Este é um ministério crucial para ajudar a Igreja global a responder à crise climática. Em nome das comunidades vulneráveis da Oceania, exorto todos os católicos a se juntarem e apoiarem este importante esforço para levar Laudato Si' a vida”.
Cardeal Blase Joseph Cupich, arcebispo de Chicago: “Laudato Si' é um chamado inequívoco à ação para proteger a nossa Casa Comum. Ao marcar o segundo aniversário deste documento inovador, há uma urgência ainda maior para trabalharmos juntos para honrar o presente do nosso criador. Ao fazê-lo, protegeremos os pobres e marginalizados dos efeitos das mudanças climáticas e preservaremos nosso pequeno planeta para as gerações futuras".
Cardeal Sean O'Malley, OFM, Cap. arcebispo de Boston: “O Papa Francisco fornece uma importante contribuição para o bem do mundo em que vivemos, deixando claro que temos a responsabilidade de cuidar do dom extraordinário da criação de Deus, mostrando o respeito pelas necessidades de todas as pessoas em toda a comunidade internacional. O Santo Padre nos chama apropriadamente a considerar como nossas ações hoje afetarão o bem-estar daqueles que nos seguirão no futuro.”
Cardeal Wilfrid Napier, arcebispo de Durban, África do Sul: "A mensagem da Laudato Si" é importante porque pede a todos que reúnam o sorriso na oferta de Deus, que continuem a inspirar e orientar os filhos para cuidar da Criação, o que Ele tão bem criou".
Dom. Luigi Bressan, arcebispo emérito de Trento, Itália: "A mensagem da Encíclica Laudato Si' tem uma visão integral abrangente do ser humano em relação à economia, relações, natureza e comunidade. É uma mensagem muito clara e profunda: todos nós estamos interligados e não isolados uns dos outros".
(IB/CM)

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Orações pelo Encontro Colégio Internacional ENS no Brasil ' ...O sentinela também é aquele que...

SALVE MARIA!

“...O sentinela também é aquele que abre as portas pela força da oração, para que as graças que Deus envia chegue aos seus filhos queridos. ”

Queridos irmãos intercessores, desejando a todos um ótimo final de semana, confiamos as suas orações a:
REUNIÃO DA ERI - 19 a 22 de Julho 2017                             
ENCONTRO DO COLÉGIO INTERNACIONAL - 23 a 29 de Julho 2017, Rezemos pedindo as luzes do Espírito Santo sobre todos os participantes.
Segue mensagem da Equipe da Super Região Brasil:                          

“O Colégio Internacional das Equipes de Nossa Senhora acontece anualmente, e é acolhido por um país onde há o Movimento. Neste ano, coube a Super Região Brasil acolhê-lo, onde o Casal Responsável Hermelinda e Arturo- serão os anfitriões. O Colégio terá lugar no Recanto Champagnat, na cidade de Florianópolis de 23 a 28 de Julho. Estarão presentes 27 casais e 11 sacerdotes vindos de diversas partes do mundo: França, Itália, Portugal, Espanha, Índia, Ilhas Maurício, Síria, Líbano , Austrália, Inglaterra, Canadá, Estados Unidos, Colômbia, Polônia, Alemanha, Togo (África), Brasil. O fio condutor do Colégio será: "Sem mim nada podeis fazer" (Jo 15,1-5)
 Coloquemos em nossas orações os casais presentes.
 Nossa Senhora Aparecida, Rogai pelo discernimento de todos



O teu gesto de ternura pode mudar o curso de uma vida....
Com carinho e oração,
GorettiMoacir
Casal Responsável Intercessores
Super Região Brasil
Equipes de Nossa Senhora


Queridos amigos:
Bom dia.
Em continuidade aos preparativos para a reunião do Colégio da ERI, a ser realizada em Florianópolis entre os dias 23 e 29 de julho próximos, pedimos que todos os Equipistas entrem em oração pelo êxito do Colégio.
Para tanto, sugerimos uma vigília de oração, obedecendo a seguinte escala:
23/07 - Província NORTE
24/07 - Província NORDESTE
25/07 - Província CENTRO-OESTE
26/07 - Província LESTE
27/07 - Província SUL I
28/07 - Província SUL II
29/07 - Província SUL III
Por favor, repassem em “cascata” para todos os vossos CRR e estes para os CRS e a todos os Equipistas do Brasil.
Agradecemos a colaboração por mais este gesto de amor e de solidariedade ao Movimento.
Abraços.
Hermelinda&Arturo




quarta-feira, 5 de julho de 2017

Como cuidar da Casa Comum no cotidiano? Cartilha explica


Cartilha apresenta dicas para economizar no dia a dia - RV
Cidade do Vaticano (RV) – São José dos Campos, diocese comprometida com o zelo pela Casa Comum, o testemunho da Espiritualidade Ecológica Cristã e a promoção da dignidade das pessoas, famílias e comunidades, preferencialmente as mais vulneráveis.

Neste sentido, a Comissão Socioambiental, que tem como missão popularizar a Encíclica Laudato Si na Igreja local, lançou a publicação "Cuidando da Casa Comum", uma cartilha que reúne dicas práticas e objetivas para serem aplicadas em nosso cotidiano. E paralelamente, promove iniciativas envolvendo a população. O Professor Luciano Rodolfo de Moura Machado, educador ambiental e coordenador da Comissão, menciona algumas.


“Na época de festas juninas, muitas paróquias fazem quermesses. Nós começamos um trabalho primeiro para despertar, para que durante estas festas, se faça a coleta dos resíduos de forma correta: resíduos orgânicos, que podem ser reciclados…  Muitas vezes observamos que no final de uma festa fica tudo misturado e não existe uma preocupação. Então começamos um ‘despertar’ neste sentido”.

“Temos uma paróquia aqui em São José, a Paróquia Sagrada Família, que já se despertou para a separação correta dos resíduos durante as festas juninas”.
“No ano passado, houve um grande evento de música católica aqui em São José com muitos jovens e nós fizemos um trabalho de conscientização durante o evento para que se fizesse a coleta correta dos resíduos. Todo o resíduo reciclável foi dirigido a uma cooperativa aqui do município, que surgiu de um trabalho da Campanha da Fraternidade, quando se falou da importância do trabalho, já há uns 15 anos. Nós separamos o resíduo e enviamos para esta cooperativa”.

Estamos começando a sentir este ‘despertar’, este olhar bem prático e bem ativo: nós sermos luz e sal na Terra e darmos o nosso exemplo como cristãos no cuidado com o meio ambiente a partir das nossas acções como Igreja”.

No próximo ano, está prevista uma programação que nós estamos mediando para que pensemos em construções sustentáveis nas paróquias: repensar nossas Igrejas, nossos templos, para que tenham tecnologias sustentáveis como coleta de água da chuva, ventilação natural que utilize menos ar condicionado e gaste menos energia…”.

“Aqui em nossa diocese, foi realizado um trabalho recente, o Plano Diocesano de Evangelização Pastoral, que foi agora votado em Assembleia em março e um dos projectos estratégicos é justamente o fortalecimento da Comissão Socioambiental, por entender que nós precisamos ser testemunhas em nosso cotidiano. A Comissão Socioambiental tem buscado ser este testemunho de uma Igreja que cuida da Casa Comum”.
(CM)