segunda-feira, 25 de setembro de 2017

São Pio de Pietrelcina

Posted: 23 Sep 2017 03:31 AM PDT

Hoje dia 23 de Setembro é dia de relembrarmos o exemplo de São Padre Pio, nascido no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina na Itália com o nome de Francesco Forgione.
Desde criança São padre Pio era muito ligado às coisas de Deus, possuindo uma grande admiração por Nossa Senhora e Jesus Cristo, aos quais via constantemente. Conta a história que ainda muito pequena era amigo de seu Anjo da Guarda, a quem recorria sempre que necessitava de auxílio em seu trajeto pelos caminhos do Evangelho.
São Padre Pio era conhecido por muitas vezes recomendar às pessoas para recorrerem aos seus Anjos da Guarda para que estreitassem assim a intimidade dos fiéis, para com este que seria o primeiro sacerdote de toda a história da Igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário.
Aos 15 anos de idade Santo Padre Pio adentrou no noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Morcone, sendo ordenado em 10 de agosto de 1910 na arquidiocese de Benevento, porém por motivos de saúde ficaria com sua família até o ano de 1916, e em setembro do mesmo ano seria enviado ao convento de São Giovanni Rotondo onde permaneceria até sua morte.
Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus Cristo, em seu próprio corpo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por meio desse sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis e libertá-los das garras do demônio, conhecido por ele como “barba azul”.
Por inúmeras vezes são padre Pio foi tentado e testado pelo maligno, porém conhecia as armadilhas do inimigo e não deixava se desviar dos caminhos de Deus. Para tal percebeu que não bastava aliviar apenas o sofrimento espiritual, e como inspiração de Deus, recebeu a missão de construir um grande hospital que seria conhecido como "Casa Alívio do Sofrimento", fundado em 5 de maio de 1956, se tornando referência em toda a Europa.
Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadoras do amor e da paz de Deus, para serem instrumentos dessas virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos. Na ocasião do aniversário de 50 anos dos grupos de oração, Padre Pio celebrou uma Missa nesta intenção. Essa Celebração Eucarística foi o caminho para o seu Calvário definitivo, na qual entregaria a alma e o corpo ao seu grande Amor: Nosso Senhor Jesus Cristo; e a última vez em que os seus filhos espirituais veriam a quem tanto amavam.
Santo Padre Pio se encontrava na madrugada do dia 23 de setembro de 1968 no seu quarto do convento com os terços entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, adentrando aos céus em paz após abraçar a Cruz de Cristo como sua ligação entre a terra e o céu. Antes de partir Padre Pio dizia:  “Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!”
No dia 2 de maio de 1999 o papa João Paulo II o beatificou, e no dia 16 de Junho de 2002 foi canonizado.
You are subscribed to email updates from Filhos Espirituais de Pe. Pio.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

XXI aniversário de falecimento do padre Henri Caffarel. Mensagem do casal provincial




Queridos,
“Não é a oração a força que nos puxa para fora de nós mesmos, para nos lançar ao serviço do outro? Por ela, adquirem os meios humanos sua plena eficácia, e é ela que continua agindo quando esses meios já não podem nada.” (Padre Henri Caffarel – “Centelhas de sua mensagem” pág. 91)

Hoje, 18 de setembro de 2017, é XXI aniversário de falecimento do padre Henri Caffarel.

Todos os que o conheceram e os que acompanhou no seu caminho espiritual, falam do quão penetrante era o seu olhar. Não um olhar indiscreto, mas cheio de um interesse profundo e respeitoso: procurava Deus em cada pessoa. A sua alegria baseava-se nisto e também a daquele ou daquela que encontrava assim a paz.
Pe. Caffarel ajudava cada um a pôr-se perante Deus e a acolher a sua vontade. Alguém cuja vida se perturbou por uma prova terrível, disse-lhe simplesmente: " a missa, todas as manhãs." Esta pessoa assim o fez e conseguiu superar todas as tempestades da sua vida.
Faleceu em Beauvois em 18 de setembro de 1996 e o seu corpo repousa no pequeno cemitério de Troussures.
No seu túmulo está escrito simplesmente "Vem e segue-me", recordando aquela voz que ele ouviu quando tinha vinte anos e que mudou para sempre o rumo da sua vida.
Recordemos o fundador com um amor especial neste dia, juntemo-nos as suas orações no céu.

Com Carinho e Oração, 

AdriHudson Pe. Júnior

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Conheça um pouco o Frei Rodrigo Machado

Especial Frei Rodrigo Machado

Fonte: http://www.franciscanos-rs.org.br/especial-frei-rodrigo-machado/

Notícias

1625723_816734671686516_1358134568_n
Vivendo há dois anos em Jerusalém, Frei Rodrigo que agora durante o tempo de férias, presta serviço no Santuário da Fonte de Colombo (Itália), lugar onde São Francisco escreveu a Regra de Vida dos Frades. Conversamos com Frei Rodrigo, sobre os seus estudo e trabalhos, confira a matéria.

1)Frei Rodrigo, como você está?
Estou bem  Encontro-me no meio dos meus estudos teológicos. No próximo ano acadêmico vou dar início ao terceiro ano de teologia.  É muito gratificante poder fazer a teologia na Terra Santa, pois é o quinto evangelho, ou seja, é estar nos lugares onde a palavra de Deus se cumpriu.
2) Como esta sendo a caminhada de formação em Jerusalém?
Ao iniciarmos os estudos teológicos na Terra Santa não nós damos conta do que isso significa pra nós e para nossos familiares, amigos e confrades. Estudar a teologia aqui tem três grandes dimensões: a bíblica, arqueológica e a litúrgica.
Vivendo há dois anos em Jerusalém, Frei Rodrigo que agora durante o tempo de férias, presta serviço no Santuário da Fonte de Colombo (Itália), lugar onde São Francisco escreveu a Regra de Vida dos Frades. Conversamos com Frei Rodrigo, sobre os seus estudo e trabalhos, confira a matéria. 1)Frei Rodrigo, como você está? Estou bem  Encontro-me no meio dos meus estudos teológicos. No próximo ano acadêmico vou dar início ao terceiro ano de teologia.  É muito gratificante poder fazer a teologia na Terra Santa, pois é o quinto evangelho, ou seja, é estar nos lugares onde a palavra de Deus se cumpriu. 2) Como esta sendo a caminhada de formação em Jerusalém? Ao iniciarmos os estudos teológicos na Terra Santa não nós damos conta do que isso significa pra nós e para nossos familiares, amigos e confrades. Estudar a teologia aqui tem três grandes dimensões: a bíblica, arqueológica e a litúrgica. 3) Frei qual foi o maior desafio que você encontrou? O maior desafio que eu encontrei vindo de uma realidade pastoral com a caraterística nossa do Brasil, de contato direto com o povo de Deus, aqui não temos esse contato, pois não falarmos nem uma das duas línguas locais o árabe e hebraico. 4) Frei sabemos que está sobre o seus cuidados, um importante serviço, qual é e o que você pode nos partilhar sobre ele? Hoje como vice cerimoniario da Custódia da Terra Santa, tenho como uma das responsabilidades o cuidado da sacristia do convento de São Salvador, onde realizamos alguns dos grades pontificais da Custódia. Este serviço não é um posto de honra, mas sim um ministério, um serviço, o qual buscamos desempenhar com cuidado e dedicação, a final, o fazemos para celebrar o mistério pascal que celebramos se renova. 5) Como você vê a atividade dos freis gaúchos aí?  Atualmente a nossa província São Francisco marca presença com 2 frades, um na basílica da Agonia, frei Plácido, e eu, como estudante de teologia. Temos aqui na Terra Santa outros frades de províncias diversas do Brasil, que estão prestando serviços em diversos santuários da Terra Santa. O que é muito importante, pois as Constituições Gerais nos lembram que a Custódia da Terra Santa é a pérola das missões da Ordem, pela qual toda a ordem é responsável de levar frades missionários que queiram prestar este serviço. 6) Como você recebeu a noticia que Frei Antônio vai se juntar a você em 2016? A notícia da vinda de frei Antônio é muito boa e nos alegra, pois é bom saber que vamos ter mais um irmão fazendo esta experiência, de fazer teologia na Terra Santa. 7)Obrigado, pela partilha o que você gostaria de deixar de mensagem para os nossos leitores? Por fim poderia resumir a oportunidade de fazer teologia aqui como uma grande graça de vivenciar a palavra de Deus no seu lugar, poder ver e tocar por meio da arqueologia, e poder reafirmar e atualizar este mistério através da liturgia, isso tudo é uma graça. Pois ao celebrar cada festa nesta Terra, fazemos em nome do Santo Padre e da Igreja Universal.  Peço a vossa oração para os cristãos do Oriente Médio, para que encontrem paz em meio a tantos conflitos. Eu aqui da terra santa asseguro a minha prece por vocês aqui dos lugares santos!
Em 2014, Frei Rodrigo teve a oportunidade de encontrar o Santa Padre, por ocasião da sua visita a Terra Santa.
3) Frei qual foi o maior desafio que você encontrou?
O maior desafio que eu encontrei vindo de uma realidade pastoral com a caraterística nossa do Brasil, de contato direto com o povo de Deus, aqui não temos esse contato, pois não falarmos nem uma das duas línguas locais o árabe e hebraico.
4) Frei sabemos que está sobre o seus cuidados, um importante serviço, qual é e o que você pode nos partilhar sobre ele?
Hoje como vice cerimoniario da Custódia da Terra Santa, tenho como uma das responsabilidades o cuidado da sacristia do convento de São Salvador, onde realizamos alguns dos grades pontificais da Custódia. Este serviço não é um posto de honra, mas sim um ministério, um serviço, o qual buscamos desempenhar com cuidado e dedicação, a final, o fazemos para celebrar o mistério pascal que celebramos se renova.
5) Como você vê a atividade dos freis gaúchos aí?
rodrigo
“Este serviço não é um posto de honra, mas sim um ministério, um serviço..”
Atualmente a nossa província São Francisco marca presença com 2 frades, um na basílica da Agonia, frei Plácido, e eu, como estudante de teologia. Temos aqui na Terra Santa outros frades de províncias diversas do Brasil, que estão prestando serviços em diversos santuários da Terra Santa. O que é muito importante, pois as Constituições Gerais nos lembram que a Custódia da Terra Santa é a pérola das missões da Ordem, pela qual toda a ordem é responsável de levar frades missionários que queiram prestar este serviço.

6) Como você recebeu a noticia que Frei Antônio vai se juntar a você em 2016?
A notícia da vinda de frei Antônio é muito boa e nos alegra, pois é bom saber que vamos ter mais um irmão fazendo esta experiência, de fazer teologia na Terra Santa.
7)Obrigado, pela partilha o que você gostaria de deixar de mensagem para os nossos leitores?
Por fim poderia resumir a oportunidade de fazer teologia aqui como uma grande graça de vivenciar a palavra de Deus no seu lugar, poder ver e tocar por meio da arqueologia, e poder reafirmar e atualizar este mistério através da liturgia, isso tudo é uma graça. Pois ao celebrar cada festa nesta Terra, fazemos em nome do Santo Padre e da Igreja Universal.  Peço a vossa oração para os cristãos do Oriente Médio, para que encontrem paz em meio a tantos conflitos.
Eu aqui da terra santa asseguro a minha prece por vocês aqui dos lugares santos!


terra santa
Você também pode se interessar por
jubileu

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Rabiscos do capítulo 6 tema de estudos ENS 2017 - "Educar para a Fé!"



Devemos aprender como Jesus educava para a fé, como ele conduzia à fé os
homens e as mulheres que encontrava nas estradas da Palestina, para nos
tornarmos nós próprios mais confiáveis no educar para a fé.

Jesus sabia não ter preconceitos, sabia criar um espaço de confiança e de
liberdade onde o outro pudesse entrar sem ter medo e sem se sentir julgado.
Nas estradas, ao longo das praias, nas casas, nas sinagogas, Jesus criava um
espaço de acolhimento entre si próprio e o outro que se aproximava dele ou
que o procurava; colocava-se sobretudo à escuta do outro, procurando
perceber o que lhe ia no coração, qual era a sua necessidade.


 Quando Jesus encontrava o outro, encontrava-o como homem, não como pecador, ou doente, ou pobre. Jesus cuidava do homem como um todo e procurava a fé presente no outro porque sabia que a fé é um ato pessoal a que cada um deve aderir em liberdade: ninguém pode acreditar em vez do outro. Através da sua presença de homem confiável e acolhedor Jesus tornava possível a fé, fazendo-a emergir simplesmente pelo facto de estar ali para o outro” (E.Bianchi – La pedagogia di Gesù nell’educare alla fede).

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Aos Sacerdotes nossas orações e parabens pela missão!!

Iniciamos o mes de Agosto, mes dedicado as vocações!
Lembramos e rezamos por todos os sacerdotes que caminharam e caminham conosco :Padre Egidio,Padre Alfredo,Padre Baixinho,Padre Jose,Padre Aleixo,Frei Carlos, Frei José Ari, Frei Vicente, Frei Paulo Zanatta,Frei Bruno Glab,Frei Aquiles,Padre Sergio,Padre Paolo Bortolazzo,Padre Dalgrande,Padre Pedro Nierotica,Padre Marcio,Padre Inacio,Padre Pedro Kunrat, Padre Leandro Chiarelo,Padre Antoninho,Padre Jose Coradin,Padre Adilson,Padre Danilo,Padre diogenes, Padre hermes, Padre antonio,Padre francisco, Padre Eduardo, Padre Clailson,Padre heitor,Padre Salet,Padre Jonas,Padre Heitor,Padre mauro, Padre xavier,Padre João Corso,Monsenhor Dalvit, Monsenhor Antonio Lorenzatto,Padre caffarel,,,,e todos os que esquecemos de citar.

Que o Espírito Santo os ilumine e ampare! Nós faremos todo o possível para auxiliar o nosso clero, como já pedia o próprio padre caffarel aos equipistas.
Um abraço e fiquem com Deus!!
alexandre


O Cura D'ars

. . O dia 4 é dedicado aos padres.

. . Como disse o Pe. Júlio Lancellotti, na sua coluna de hoje do Jornal “O Diário Popular”, o protetor dos padres é São João Maria Vianey, o Cura d’Ars, nascido em 4 de agosto. Por sua perseverança, muita persistência e sua característica simplicidade, conseguiu transformar uma igreja antes vazia de fiéis num local extremamente visitado por peregrinos e até nobres e governantes.

. . A tal ponto a sua igreja era visitada que, para acolher os peregrinos ávidos de ouvir e conversar com o pároco, a França decidiu construir na cidade de Ars uma estrada de ferro e uma estação.

. . É que São João Maria Vianey, quando em vida, tinha extrema habilidade e paciência em ouvir os fiéis, confortando-os, orientando-os e ajudando-os a se reconciliarem com Deus e com os seus semelhantes.

. . Mas a despeito de sua paciência, compreensão, afeto, benevolência e docilidade, era excêntrico em suas opiniões, quando estavam em jogo a reputação, a moral, o bom nome das pessoas. Por exemplo, a uma mulher que lhe confessou ter espalhado boatos falsos sobre a idoneidade alheia ele sentenciou: pega uma galinha, arranca-lhe as penas e espalhe-as ao vento e depois procure reuni-las, sem faltar uma só.

. . Como a mulher lhe dissesse que isso seria impossível, ele sentenciou: assim também, será impossível você encontrar todas as pessoas que souberam do boato que você espalhou e desmenti-lo...

. . A despeito da repercussão do seu belo exercício no sacerdócio, o pároco foi considerado sem habilidade para o mesmo por seus superiores mas, mesmo assim, foi agraciado por Deus, graças à sua paciência, disposição e afeição no trato das pessoas, sempre disposto a ouvir e dialogar com elas, dando-lhes atenção, assistência espiritual e coragem de viver.

. . Um belo exemplo dá aos padres, o Cura d’Ars, considerado o protetor dos párocos!


Fonte:
... José Dassi
... ..josedassi@uol.com.br

terça-feira, 1 de agosto de 2017

QUEM É O PADRE CAFFAREL? - sobre a Caridade


Há momentos em que quaisquer palavras -nossas, em busca da “riqueza espiritual”de CAFFAREL, se tornam a mais.Tínhamos acabado de ouvir na TV, mais uma vez, casos duros sobre famílias inteiras, as agruras que a crise que avassala o nosso País e o mundo lhes está a provocar e, ao mesmo tempo, palravam vários personagens no estilo de “bater o mea-culpa no peito dos outros”, como D. António Ferreira Gomes denunciava como nosso mesquinho vício. Eis então que, angustiados pela tardança em dar o nosso “textosinho” para a CARTA, logo deparámos, caída como bênção do Espírito Santo, com uma luminosa reflexão do nosso Fundador a propósito duma carta recebida em reacção ao que ele escrevera algures. Bastará transcrever (e atrevidamente adaptar ao nosso País) no essencial. Pois bem:

“(...) recebi esta carta: “Sou o tipo de assinante passivo, a-mãe-de-família- -demasiado-ocupada-para-escrever!


contente, no seio da sua tranqüila comunidade familiar onde nada falta, onde se está confortavelmente entre pessoas que se amam e que são agradavelmente ‘bem educadas’? Eu pensava realmente que isso era de outros tempos. Por mim, acho tão difícil conseguir alguns momentos de paz e de quietude! Então, pomos a cabeça entre as mãos e dizemos: ‘A minha posição social, a minha fortuna adquirida justamente (...), foi o bom Deus que as quis; de resto, não sou eu generosa de acordo com os meus meios?, etc. etc.’... e lá vamos andando com um pouquinho de tranquilidade. Mas não por muito tempo. Uma pedinte bate à porta (uma profissional, certamente, não lhe devo nada... ! ah! e se ela tiver filhos enregelados em casa?... os meus estão tão contentes à volta da lareira – plano da Providência: a sua miséria, o meu conforto?...

– viro tudo ao contrário). Ou então é um testemunho do Padre Américo ou do Banco Alimentar ou da Caritas que nos cai nas mãos: a miséria está ali, espreita-nos, estraga o nosso conforto, vira do avesso as nossas perspectivas razoavelmente estabelecidas; já não há maneira de ser feliz; e o pior é que o saco no supermercado ou o dinheiro não apaziguam. Não, Senhor Padre, ajude-nos antes a encontrar a paz. A paz que vem da caridade – (como vê, condeno-me a mim própria; já sei, tudo vem da falta de amor). Qual é o nosso lugar, de burgueses ricos (ou supostamente), nesta miséria do mundo? Estas desculpas (plano providencial, etc.)  não serão fúteis? Pergunto a mim própria muitas vezes se a sua revista feita para nós e que compreende tão bem os nossos problemas e nos ajuda não faria por vezes melhor se mandasse passear
todos esses problemas e nos abanasse,pregasse a pobreza, a caridade, o amor perfeito que despoja.

 Pergunto a mim própria se, unidos nessa intensa caridade, não veríamos melhor a insignificância desses problemazínhos conjugais que tanto nos ocupam (...)”.
Como isto soa a cristão! É por esta inquietação, captada com muita verdade e energia, que se reconhece o discípulo de Cristo. Perante a miséria do mundo, ele descobre a sua riqueza e inquieta-se: porquê eu, por que não eles? Como sois ricos, vós a quem me dirijo! Mesmo se não tendes fortuna material. Ricos da nossa cultura, da vossa educação, das vossas relações, das vossas amizades, dessa família onde há amor. Ricos do bem infinitamente ainda mais precioso da fé, da graça... E, à vossa volta, uma terrível pobreza: corpos famintos, corações famintos, almas famintas. Sois perseguidos por esta pergunta: porquê eu, por que não eles? Sois perseguidos pela vontade de partilhar? Dir-me-eis “Eles não vêm pedir”! De verdade?

Credes que é a eles a quem compete deslocar-se... e pedir


Nela e Augusto Lopes Cardoso

Casal Responsável pela Equipa de Reflexão

e Aprofundamento do Pensamento do P. Caffarel

fonte: CARTA MENSAL PORTUGAL

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Os 3 ingredientes para um casamento bem-sucedido

Fonte: site Aleteia

Shutterstock
Compartilhar
0



Comentar
  
0



Faça essas coisas simples todos os dias e sua relação vai decolar

Aproveite estes 3 simples ingredientes para fazer seu casamento decolar: 30 segundos de beijos, 30 minutos de conversa e 3 minutos de oração – todos os dias. Viver com estas três regras simples ajudará a manter seu casamento fresco e forte.
30 segundos de beijos
Para os românticos – me perdoe, mas eu tenho que dizer isso em voz alta: a química em um relacionamento não é uma metáfora. A química é simplesmente química. Na nossa corrente sanguínea, existem substâncias chamadas hormônios. Dois deles são muito particulares – os hormônios do amor: oxitocina e vasopressina.
Nas mulheres, a oxitocina é liberada com uma concentração muito maior durante o nascimento, amamentação, abraço, carinhos e beijos.
A vasopressina é um equivalente masculino que inunda o corpo durante o sexo.
É essa mistura que cria um vínculo químico entre nós, envolve-nos e nos dá sentimentos de proximidade e prazer. Funciona melhor que o chocolate e não causa ganho de peso!
Se quisermos amar nosso esposo até a morte, temos que fazer amor. É tão simples. Não só quando nosso relacionamento está prosperando e, naturalmente, queremos estar juntos, mas especialmente quando algo começa a falhar. Pesquisadores da Califórnia descobriram que um beijo de 30 segundos ativa a oxitocina. É a ternura entre nós que faz com que os hormônios funcionem em níveis ótimos. Não deixe a proximidade física ser uma recompensa ou punição. Deixe que seja uma parte regular do seu relacionamento.
30 minutos de conversa
É bom falar sobre tudo ou nada em particular. Vamos concordar que, às vezes, é necessário, porque ser muito sério o tempo todo pode não ser bom para a saúde. Uma conversa em um casamento deve ser bem equilibrada, como uma boa dieta.
Em uma conversa equilibrada, há tempo para todos os tipos de tópicos, tanto leves quanto sérios. Todos eles são essenciais para o funcionamento saudável do relacionamento. Trinta minutos por dia são ótimos. A conversa construtiva não é um monólogo, meditação, testemunho ou um misto de palavras. Não é “blá blá blá”, mas um diálogo. E um diálogo tem suas regras invioláveis:
  • Primeiro escute, depois fale.
  • Tente entender um ao outro, não julgar mutuamente.
  • Compartilhe você mesmo (comece uma frase com “eu”) e compartilhe suas experiências e sentimentos antes de discutir.
  • Absolutamente evite generalizações e exageros como “Você sempre…” ou “Você nunca…”
  • Não vá dormir sem perdoar e reconciliar.
3 minutos de oração
Você já tentou andar uma longa distância sem um aquecimento ou alongamento? Bom, não tente. O mesmo acontece sobre rezar juntos. Esses três minutos praticados todos os dias durante pelo menos um mês são como um bom e necessário aquecimento para uma maratona espiritual. Se você ignorá-lo, você arrisca falsos começos, lesões e perda de motivação. Pode ser um mistério do Terço juntos, uma passagem do Evangelho do dia com uma breve reflexão, uma oração espontânea ou sua oração favorita. Faça sua escolha.
O espaço de oração é importante. Assim como você tem uma cama para dormir, um sofá para assistir filmes, uma mesa para comer e uma mesa para trabalhar, você deve organizar um lugar para rezar. Coloque uma vela, uma imagem, uma Bíblia, um terço. Deixe que este seja o seu local de oração. A perseverança resultará no seu desejo de estar junto com o Senhor. E, vamos admitir, é gostoso estar em boa companhia.