segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

O Limoeiro


Quem avista um limoeiro pode ter tantas reações diferentes... Se um dia um espinho o feriu quando foi apanhar um limão, o limoeiro pode sempre lembrar a dor; se no verde das folhas, nos tamanhos variados dos espinhos, nas flores que vão dar os frutos, no próprio fruto que brilha ao sol ou deixa escorrer sem pressa as gotas da chuva a pessoa vê a bondade e a criatividade de Deus, o limoeiro pode se transformar em oração; se quando a mulher tempera a carne e as saladas com o suco do limão ela decide ser tempero na vida dos outros, o fruto do limoeiro tornou-se causa de conversão; se o homem que apanha o limão lembra-se do amigo gripado e leva-lhe aquela fruta para que possa fazer um chá que o alivie e reconforte porque cheio de vitamina C, o fruto do limoeiro permitiu a ele praticar uma bela obra de caridade, muito agradável a Deus; se com o limão eu faço uma limonada para aplacar a sede dos meus familiares e ao mesmo tempo alimentá-los, ah, que bela missão! Ha tantos limoeiros em nossa vida, meus irmãos: o que estamos fazendo com eles?

Servem para nos queixar ou para nos dar vida e dar vida àqueles que Deus pôs em nosso caminho? Nos queixamos porque o limão é azedo ou aproveitamos um pouco do seu amargor para dar sabor diferenciado à alface, um gostinho especial ao peixe e à ostra que pomos à mesa? O que estamos fazendo com os limoeiros que o Senhor coloca à nossa disposição?

Parte do programa Palavra Viva do equipista Carlos Martendal

quer ler na integra?
solicite por email.

boa semana
alexandre e alana

Um comentário:

Manoel Jesus disse...

Oi Alexandre e Alana: obrigado pela gentileza dos comentários. Também dei uma olhada no blog de vocês e, quando crescer, quero escrever um assim! Beleza, bom saber que tem gente dizendo coisas boas sem vergonha de expressar suas convicções e sua fé. Grande e carinhoso abraço.